Orgulho e Preconceito – autora: Jane Austen

Amor, dinheiro e rebeldia marcam o clássico mais famoso da autora inglesa, parte da Coleção Jane Austen que já publicou Persuasão e se prepara para lançar Razão e Sensibilidade. 

Biblioteca da Redação.

Orgulho e Preconceito, publicado pela primeira vez em 1813, ganha nova edição luxuosa, pela Vialeitura do Grupo Editorial Edipro. A obra em capa dura apresenta a história dos Bennets, família nobre, porém sem muitas posses. 


Em busca de um bom casamento que assegure o futuro das cinco filhas, os Bennets procuram por pretendentes com boas condições. A chegada de dois jovens solteiros abastados despertará muitas e diferentes emoções para a família. Especialmente nas irmãs Jane Bennet, a primogênita que logo se apaixona pelo senhor Bingley e a espirituosa Elizabeth, que ao contrário despreza o orgulhoso senhor Darcy. 

Em uma jornada de embate contra a moral e o casamento por interesse na aristocracia rural inglesa no século XVIII, Elizabeth terá que reconsiderar suas convicções e reavaliar seus sentimentos para viver um grande amor.

Nessa obra Jane convida o leitor a uma reflexão sobre as relações humanas e suas consequências com diálogos aguçados ao mesmo tempo em que coloca em evidência no enredo a condição feminina na sociedade burguesa de sua época. 


Repleto de reviravoltas e personagens inesquecíveis, Orgulho e preconceito é a mais bela anatomia literária da vida. Por meio do romance e da dor que desafiam os caminhos do destino, a autora denuncia a promiscuidade da sociedade em suas relações nas quais se confundem amor, dinheiro e status social. Um livro universal e atemporal. 


Sobre a autora: Jane Austen (1775-1817) tornou-se uma das mais reconhecidas escritoras inglesas em toda a História. Nascida na nobreza rural do século XVIII, representou a realidade de sua classe social em todas as suas obras, concentrando-se no papel da mulher. A sétima filha de uma família de ávidos leitores escreveu seus primeiros textos para o divertimento doméstico, até a publicação de seu primeiro livro, em 1810. Apesar de o casamento ser um tema frequente em suas obras, Austen morreu sem nunca ter se casado, aos 41 anos, em Winchester.

Suas últimas palavras foram “não quero nada mais que a morte”. 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.